Busca

Neil Gaiman Brasil

tradução oficial do blog do autor

DUAS FOTOS DO BEBÊ! (E, POR MAIS ESTRANHO QUE POSSA SER, ALGUMAS NOVIDADES TAMBÉM).

[originalmente publicado por Neil Gaiman em 16/10/2015]

Estou escrevendo isso em uma sala lounge, num aeroporto em Cleveland. Você precisa pagar ou ter um cartão de crédito chique para entrar e eu tenho um cartão de crédito chique que nunca usei no fundo da minha carteira, então, oba!, internet de graça e uma xícara de chá.

A última noite foi a minha primeira longe do bebê e da Amanda desde o parto. Hoje falei em um evento acadêmico realizado pela Fundação Biblioteca Pública de Cuyahoga County e a Universidade Case Western Reserve. Gostei de ter falado e controlei minha ansiedade para não ficar sentindo falta do bebê.

Me senti estranho essa manhã: acordei num tipo de pânico numa cama de hotel, me perguntando como eu tinha dormido tanto e por que eu não troquei as fraldas do bebê durante a noite e, ai meu deus, cadê o bebê, ah, sim, estou em Cleveland.

É ASSIM QUE ELE É QUANDO ESTÁ ACORDADO.

Agora, estou num voo de volta para eles.

Nós passamos a última semana vendo parentes idosos ao pôr-do-sol e curtindo o feriado. A vida real (e o outono gelado do nordeste) começam na segunda-feira.

ESTE É ANTHONY. NÓS CHAMAMOS ELE DE ASH PARA ENCURTAR. ELE ESTÁ USANDO UM CHAPÉU NESSES DIAS.

(ainda não recebi um relatório completo sobre o Humble Bundle. Vou postar aqui assim que receber)

MAS HÁ NOVIDADES:

No dia 9 de novembro vou estar no Brooklyn, em uma conversa com Junot Diaz, falando sobre Sandman e outras coisas, e depois vai haver a única sessão de autógrafos da edição de capa dura do Sandman Overture (que será oficialmente lançado no dia 10 de novembro.)

As entradas são gratuitas, mas você deve reservá-las logo: https://neilgaiman.splashthat.com/

No dia 7 de novembro, vou participar de uma conversa com Armistead Maupin, na Bard. Essa será a quarta conversa na Bard que eu faço (Art Spiegelman, Audrey Niffenegger e Laurie Anderson foram os três primeiros.)

Venha assistir um diálogo público entre Neil Gaiman, professor de Artes na Bard, e Armistead Maupin, escritor best-seller e ativista. Maupin é autor de 11 romances, incluindo a série de nove volumes “Histórias de uma cidade” (ou “Histórias de São Francisco”), das quais três foram adaptadas para a televisão com Olympia Dukakis e Laura Linney. Ele e Gaiman vão discutir seus heróis Charles Dickens e Christopher Isherwood, a arte de contar histórias e muitos outros assuntos. O evento faz parte de uma série regular de conversas na Fisher Center, apresentadas pelo professor Gaiman.
Se você estiver por perto, deveria vir. Ingressos e informações em  http://fishercenter.bard.edu/calendar/event.php?eid=129331.

Eu e Armistead em São Francisco no verão.

Há um punhado de outros eventos que vou participar antes de me aposentar de todas as conversas e aparições públicas no fim de novembro e volte a ser escritor em tempo integral por um tempo:

Em 23 de outubro, uma sexta, estarei no Festival Literário de West Virgina, em Charleston, WV. http://wvbookfestival.org/

Na sexta-feira 13 de novembro, estarei no Texas. Haverá mascarados com facões ou um massacre local com uma serra elétrica? Provavelmente nenhum dos dois, dado que estarei falando em Austin, lendo histórias, respondendo perguntas e, de modo geral, me divertindo à beça. É um auditório grande e ainda há uma centena de assentos disponíveis, mas eles estão acabando rápido. http://thelongcenter.org/event/neil-gaiman/

No sábado 14 de novembro, farei a mesma coisa, mais ou menos, só que com palavras diferentes, em Long Beach, CA. (Há uns 20 assentos sobrando, pelo que vejo: http://www.carpenterarts.org/2015-2016/neil-gaiman.html )

THE SLEEPER AND THE SPINDLE chegou aos EUA e (para minha surpresa) está em primeiro lugar na lista de best-sellers da NYT YA. Agora está na terceira semana na lista, e é um livro muito bonito.

O livro maravilhoso da Hayley Campbell de tudo o que você sempre quis saber sobre mim vai sair logo em brochura, com uma capa imitando arte vitoriana que não mostra uma foto minha. Muitas pessoas acharam que a capa dura só tinha desenhos de mim, ou perto de mim ou algo do tipo, então eles deram um título que esclarece o que o livro é e por que.

Se chama “A arte de Neil Gaiman: a história de um escritor com alguma notas escritas à mão, desenhos, manuscritos e fotografias pessoais.” (link.)

O Reino Unido vai receber uma nova edição em capa dura de BELAS MALDIÇÕES, uma capa nova linda para O OCEANO NO FIM DO CAMINHO e também uma (fisicamente) edição minúscula de COMO O MARQUÊS RECUPEROU SEU CASACO, para dar ao pessoal no Reino Unido que tinham a edição preferida do autor de “Lugar nenhum”, só vendida nos EUA por uma década e que tinha a história do Marquês atrás.

Vi as novas capas de OCEANO e MARQUÊS no Twitter hoje de manhã e tenho prazer e postá-las aqui:

E, uma nota final, a última parte de Sandman Overture foi lançada, as pessoas leram e os reviews são muito gentis. Eu vi https://comicspectrum.wordpress.com/2015/10/12/sandman-overture-6-dcvertigo/http://www.ign.com/articles/2015/09/30/the-sandman-overture-6-review
http://www.comicosity.com/review-sandman-overture-6/ e http://www.comicbookresources.com/comic-review/the-sandman-overture-6-vertigo e quando eu li os reviews, senti que as pessoas realmente entenderam o que JHW3 e eu estávamos tentando fazer, e nós de fato conseguimos, apesar dos pesares.

É uma sensação estranha a de revisitar uma história e personagens que você criou há quase 30 anos atrás, e tentar adicionar camadas, de modo que se alguém relê a história original, vai ver eventos e personagens que achou que conhecia tão bem quanto conhece a si próprio, mas em uma luz diferente.

Consegui chegar ao pôr-do-sol.

Anúncios

UM GRANDE OBRIGADO, UM POUCO DE VIDA E UM POUCO DE MORTE…

[originalmente publicado por Neil Gaiman em 25/09/2015]

Muito obrigado a todos por participarem do Humble Bundle ou só por me  aturarem aqui no blog, no twitter e no facebook falando sobre isso. Agora faz uns dois dias que acabou: recebemos agora mesmo uma mensagem do pessoal da Humble nos avisando que foi:
Primeiro lugar no Humble de livros
Maior valor médio pago por bundle
Primeiro lugar em cobertura da mídia para um Bundle de livros
Ele continuaram:
Esse bundle foi particularmente especial porque teve uma reação muito bonita e positiva, tanto dos nossos fãs quanto dos novatos no Humble. Ontem conversei com o gerente do nosso SAC  e ele disse que não houve um único comentário negativo. (Exceto por novos clientes com dificuldades em entender como resgatar os bundles. Uma reclamação muito comum.) Isso nunca aconteceu antes!
Desde o lançamento, houve uma tremenda quantidade de energia e prazer do pessoal aqui. Todo mundo estava ansioso para participar. Eu ousaria dizer que foi quase uma experiência Mágica.
Fiquei tão feliz por tantos amigos, conhecidos e pessoas que nem conheço darem uma ajudinha.

John Scalzi foi além — ele escreveu um review do meu livro Duran Duran de 1985 e fez dele uma mediação fácil entre quem somos, quem fomos e quem nos tornamos. Está em http://whatever.scalzi.com/2015/09/22/duran-duran-neil-gaiman-and- e talvez você goste.

Aqui estão os resultados finais, caso se interesse:
Humble Book Bundle: Raridades de Neil Gaiman
https://www.humblebundle.com/books?view=pPpiWRbzesK-
Lançamento: 9 de setembro de 2015
Expiração: 23 de setembro de 2015
Preço médio por bundle: US$19,63
32,294 bundles comprados
Total arrecadado: US$633.787,98
(Note que os números podem ter uma pequena variação nas próximas semanas.)

Vou postar os números reais aqui, quanto dinheiro realmente recebemos e quanto está indo para onde, assim que tiver essas informações da Humble. Um hurra à transparência!

(Aliás, eu recomendo a Banned Comics Humble Bundle que está rolando agora: US$231 de quadrinhos proibidos por Pague Quanto Quiser https://www.humblebundle.com/books)

Enquanto isso, muitas outras coisas acontecem. Por exemplo, o livro The Sleeper and the Spindle foi lançado nos EUA na terça. A nova versão em áudio também, que você pode escutar em: https://soundcloud.com/harperaudio_us/sleeperandthespindle_gaiman

Leia também uma ótima entrevista com Chris Riddell (e veja ilustrações do livro) em http://epicreads.tumblr.com/post/129147915806/books-for-keeps-window-into-illustration-with

The Moth disponibilizou um novo programa de rádio que inclui, por mais estranho que pareça, na semana em que um filho nasce, eu falando sobre meu pai e meu filho: http://themoth.org/posts/episodes/1520 (Isso foi gravado em 2012, em algum lugar durante a turnê de ônibus Unchained.)

Eu gravei um documentário para a rádio da BBC – que estou apresentando – em Orpheus: http://www.bbc.co.uk/programmes/b06cw171  Estou muito orgulhoso, ele inclui pessoas maravilhosas como Margaret Atwood, Jonathan Carroll e Peter Blegvad. (Esse é o poema que escrevi para Kathy Acker que faz parte do documentário: http://www.bbc.co.uk/programmes/articles/5gmSz0PkBn6G81cdsySP8mJ/orphee-a-poem-by-neil-gaiman)

Miracleman, The Golden Age stories, meu e de Mark Buckingham, está sendo vendido semanalmente. Acho que você iria gostar de ir a uma loja de quadrinhos e compra-lo. É excitante para mim relê-lo agora e muito estranho finalizar com Mark Buckingham essa história que começamos tantos anos atrás.

O bebê tem nove dias, está feliz e saudável e, para minha surpresa, ele faz sons incríveis: dá gritinhos agudos como de ratos, pia como pombos matinais e faz pequenos chiados como porquinhos da índia. Eu adoro ele. A mãe dele também está muito bem, no caso de você estar se perguntando.

Nossa não-tão-modesta encomenda¹

[originalmente publicado por Neil Gaiman em 21/09/2015]

Ele nasceu às 8:37 da manhã em 16 de setembro, que é, me disseram, a data de aniversário mais comum nos EUA. Foi um parto longo mas gratificante. O nome dele na certidão de nascimento é Anthony, mas na maioria das vezes o chamo de Squeaker². Ele faz os melhores barulhos do mundo, quase sempre chilros, pios e fungadas.

Amanda é uma mãe incrível. Estou trocando fraldas e amando isso demais. É maravilhoso.

¹Trocadilho com Humble Bundle, que significa “pacote, ou encomenda, modesta”.

²“Squeak” é o som agudo que certos brinquedos de borracha, talvez mais conhecidos como brinquedos de apertar, fazem. “Squeaker” seria aquele que aperta o brinquedo.

Santos sludgebuckets trevosos! Obrigado!

[originalmente publicado por Neil Gaiman em 09/09/2015]

O Humble Bundle está no ar há quase dez horas.

Ele quebrou todos os recordes anteriores de Humble Bundle para livros. Enquanto digito isso, cerca de 7000 pessoas já compraram o Bundle. $133,000 foram arrecadados. E algo muito peculiar foi feito…

A média de doação (no momento, $18,88) é maior do que o valor que escolhemos para ser o máximo ($15). Isso significa que os livros que achávamos que seriam vendidos por um valor médio estão na verdade, para a nossa surpresa, no valor máximo.

Isso muda algumas coisas, inclusive os planos para essa semana de fazer com que o máximo possível de pessoas consiga o máximo possível de coisas…

Há uma ótima entrevista comigo na The Nerdist onde falo sobre vergonha, idade e por que estou querendo limpar meu porão e sótão de algumas coisas embaraçosas. (Bem, pelo menos pelos próximos 13 dias). Está em http://nerdist.com/exclusive-neil-gaiman-discusses-uncovering-rarities-for-humble-bundle/

Um dos melhores efeitos colaterais inesperados disso tudo tem sido o “pergunte-me qualquer coisa” no Reddit com minhas filhas, Holly e Maddy Gaiman. Dá para entender bastante das personalidades delas. As duas são muito divertidas, de maneiras muito diferentes. Para os curiosos, é assim que elas se parecem hoje em dia.

Maddy é autora deste livro. Ou era, em 2002. São cartas e poemas que trocamos enquanto eu estava fora escrevendo Deuses Americanos e ela era Muito Nova. Apenas 100 exemplares foram publicados e dados para amigos próximos. E agora faz parte do Humble Bundle também…

Então obrigado e obrigado de novo.

Se ainda não comprou, você ainda pode comprar seu e-Book, e-Comic, e-Maisoquê raros e colecionáveis em https://www.humblebundle.com/books pelos próximos 13 dias e 14 horas. São 1249 páginas. Todo o dinheiro vai para boas causas e você pode controlar quanto vai para as instituições, para os criadores, para o Humble Bundle…

(Mais coisas ainda vão aparecer no bundle no meio da semana. Se você já comprou, terá tudo sem ter que pagar mais.)

Aliás, coisas que devo mencionar:

O número 1 de Miracleman foi lançado! A arte do Mark Buckingham nunca foi melhor. A minha história é, bem, ainda estou muito orgulhoso dela, depois de todos esses anos. Se você se pergunta por que as pessoas falaram tanto sobre isso, pode começar a entender com o número 1, que deve estar na sua loja de quadrinhos local.

http://marvel.com/comics/issue/50326/miracleman_by_gaiman_buckingham_2015_1

As metas do milênio: Em 25 de novembro, a ONU vai adotar oficialmente as novas metas do milênio. Vá em http://www.globalgoals.org e descubra quais são as metas e o que você pode fazer para mudar o mundo para melhor…

Antes disso, a Penguin vai lançar o primeiro “livro-post-it” do mundo, para esclarecer as metas do milênio: eu ajudei, um pouco, a fazer isso acontecer: http://www.thebookseller.com/news/richard-curtis-and-neil-gaiman-michael-joseph-global-goals-curate-worlds-first-post-it-note-book-311417 Richard Curtis fez todo o trabalho pesado.

E no caso de você estar se perguntando…

Eu apoio a meta 16: Paz e Justiça.

QUER ECONOMIZAR MILHARES DE DÓLARES ENQUANTO FAZ O BEM? E ER… TAMBÉM PEGAR ALGUMAS COISAS INTERESSANTES PARA LER.

[originalmente publicado por Neil Gaiman em 09/09/2015]

https://www.humblebundle.com/books

Quando você tem é escritor por mais de trinta anos, você escreve coisas – livros, quadrinhos, todo o tipo de coisa – que por algum motivo ou outro se tornam raros. Eles não são mais impressos. Às vezes porque você está envergonhado deles ou não quer que sejam impressos. Ou porque as circumstâncias estão contra você. Ou porque algo só foi publicado em uma edição limitada.

Tenho uma biblioteca no porão cheia de livros misteriosos. De alguns, só tenho um exemplar. Paguei $800 por um deles, a edição de capa dura da minha biografia do Duran Duran, mais ou menos oito anos atrás, impressionado por alguém cobrar tanto, mas sabendo que era o único exemplar que tinha visto (cheguei a ver outro à venda na semana passada, por $4000).

Muitos anos atrás, eu processei uma editora por não pagar royalties, por registrar direitos autorais das coisas que escrevi em seu próprio nome e várias outras coisas. E, porque parecia ser o certo, decidi que qualquer dinheiro que saísse do processo iria para a caridade. Muito depois de ter ganhado a causa, quando as finanças estavam resolvidas, percebi que tinha uma porção enorme de dinheiro. Não queria dar tudo para uma instituição, ao invés disso, formei a Fundação Gaiman que, por muitos anos, vem usando o dinheiro para Fazer Coisas Boas. A Fundação Gaiman tem fornecido fundos para o programa de educação da Comic Book Legal Defense Funds, várias iniciativas de liberdade de expressão, o programa de High School da The Moth, que ensina a crianças o poder de contar suas próprias histórias, enquanto ajuda a financiar boas causas como a Lava Mae, que fornece chuveiros e recursos de higiene pessoal para moradores de rua de São Francisco.

Dar dinheiro para boas causas tem sido algo ótimo para se fazer, principalmente quando os resultados são óbvios  e imediatos.

O único lado ruim é que o dinheiro do processo está quase acabando. Tenho dado dinheiro para fundação por enquanto, mas ano passado Holly Gaiman (que não é apenas minha filha e sabe fazer o chapéu do Ace, como também está estudando gestão de organizações não-lucrativas e tem sido inestimável para a Fundação) me explicou que se a Fundação Gaiman fosse continuar, seria preciso doar mais uma enorme porção de dinheiro para ela. Comecei a pensar…

Alguns anos atrás, participei de um dos primeiros Humble Bundles de livros e fiquei muito impressionado com como a coisa funcionava. E-books (naquela época, de livros impressos esgotados ou indisponíveis) estavam livres de GDD: alguns ficavam disponíveis para quem pagasse qualquer coisa, alguns apenas para quem pagasse acima do preço médio, alguns disponíveis para qualquer um que pagasse acima de um valor específico. Artistas e escritores eram pagos e o dinheiro também financiava boas causas – quando você comprava livros, podia escolher quanto iria para a instituição beneficente, para qual instituição, quanto para os criadores, quanto para a Humble Bundle.

Hmm. Tinha um começo de ideia.

Charles Brownstein da Comic Book Legal Defense Fund está sempre a fim de ouvir as minhas ideias estranhas. Ele gostou dessa.

Essa foi a ideia:

Eu colocaria no Humble Bundle todas as coisas raras que poderíamos achar.

Livros que há tempos não são impressos, histórias pelas quais colecionadores pagariam centenas de dólares, quadrinhos, panfletos e artigos de revista obscuros. Até coisas que me deixam vagamente envergonhado (como a biografia do Duran Duran, um exemplar de capa dura que pode, como eu disse, ser vendida por milhares de dólares hoje em dia, se você achar uma).

Livros esgotados há 30 anos, como GHASTLY BEYOND BELIEF, uma coleção de citações dos livros e filmes de ficção científica e fantasia mais estranhos que Kim Newman e eu fizemos quando tínhamos 23 e 24 anos, respectivamente. Coisas que são totalmente pessoais e nunca foram vendidas, como LOVE FISHIE, um livro de poemas e cartas da minha filha Maddy (aos 8 anos) para mim, e de mim para ela, que foi transformado em um livro (com a ajuda da minha assistente Lorraine Fabulosa) como um presente para meu aniversário de 42 anos.

Dois livros esgotados da Knockabout Comics: OUTRAGEOUS TALES FROM THE OLD TESTAMENT e SEVEN DEADLY SINS, com histórias escritas ou desenhadas por mim, Alan Moore, Hunt Emerson, Dave Gibbons, Dave McKean e muitos outros.

Quadrinhos esgotados meus e de Bryan Talbot, meus e de Mark Buckingham, até meus e de Bryan Talbot e de Mark Buckingham.

Teria livros de contos & outras coleções que tiveram tiragens pequenas como ANGELS AND VISITATIONS e o LITTLE GOLD BOOK OF GHASTLY STUFF, contendo histórias que ganhariam prêmios e fariam parte de coleçõres maiores, oficiais (“Fumaça e espelhos”, etc.), histórias que ninguém mais viu desde então, sem mencionar artigos de não-ficção, como aquele sobre os efeitos do álcool sobre escritor, ou aquele em que passo 24 horas nas ruas do Soho, que hoje são apenas sussurrados em rumores.

Haveria até um conto meu, “Manuscrito achado em uma garrafa de leite”, publicado em 1985, tão ruim que nunca deixei ser reimpresso. Nem mesmo para dar esperança a jovens escritores que se eu já fui péssimo assim, ainda há esperança para todos eles.

Charles da CBLDF gostou da ideia.

Foi bom Charles ter gostado da ideia. Ele teve tanto trabalho, coordenando, encontrando e falando com pessoas, levando contratos para artistas e editoras, e todos assinaram. Ele fez tudo isso, felizmente, caridosamente, mas não queixosamente.

As pessoas do Humble Bundle gostaram da ideia também.

O dinheiro da Humble Bundle é dividido entre os criadores e as instituições beneficentes, onde a pessoa que compra decide como a percentagem que vai para as instituições é dividida.

Estou dando todo o dinheiro que conseguir como criador pela Humble Bundle para a Fundação Gaiman (minha agente Merrilee doou sua taxa também, então 100% do que vier para mim vai para a Fundação).

Há, obviamente, outros autores, artistas e editoras envolvidos. Alguns pediram para que seu dinheiro vá para instituições e alguns, perfeitamente razoáveis, vão pagar alugel e comprar comida com seu dinheiro.

(No começo, esperávamos dividir o dinheiro entre a CBLDF e a Fundação Gaiman, mas nos dois últimos dias da organização, descobrimos que isso seria impraticável, então a outra opção de caridade vai ser o programa da Moth: a contação de história nas escolas, que fez algumas coisas muitos boas, estou orgulhoso por estar ajudando.)

Geralmente, a Humble Bundle gosta de explicar que você está pagando o que quiser por, talvez, $100 de jogos, livros ou quadrinhos. É difícil pôr um preço nessas coisas – comprar Duran Duran e Ghastly Beyond Belief pode te render milhares de dólares. Aqui, você vai conseguir alguns e-books se pagar o que quiser, mais e-books se pagar além da média, e algumas surpresas (como Duran Duran e “Manuscrito encontrado em uma garrafa de leite”) se pagar mais de $15.

Há um total de 1.300 páginas de e-books, quadrinhos livres de GDD, ficção e não-ficção. Há até um script de Babylon 5 que escrevi.

Esses livros, quadrinhos e coisas do tipo estão disponíveis durante as duas semanas de venda ativa do Humble Bundle. Depois disso, eles vão sumir outra vez. Esta é realmente a sua chance de lê-los.

Clique no link: https://www.humblebundle.com/books. Te levará a algum lugar um pouco parecido com isso, onde muitas páginas de e-books esperam por você.

E lembre-se, é pague-quanto-quiser. (Se quiser pagar os milhares de dólares que custaria se você comprasse como itens de coleção, pode fazer isso também. Ficarei agradecido, como também as várias instituições, sem mencionar os artistas, outros escritores e por aí vai).

Obrigado a Charles Brownstein; a Mary Edgeberg, Holly Gaiman, Cat Mihos e Christine DiCrocco, no meu time; obrigado a minha agente Merrilee Heifetz; a todo mundo que desenhou, escreveu, publicou ou de outra forma nos deu permissão para disponibilizar essas coisas; a Mike Maher e o time na Scribe por preparar os e-books; acima de tudo, obrigado a todo mundo na Humble Bundle por trabalhar incasavelmente para causas maravilhosas.

Espero que você goste de todas as 1.289 páginas raras e colecionáveis. Até mesmo o “Manuscrito encontrado em uma garrafa de leite”.

https://www.humblebundle.com/books

COMO AJUDAR SUA FAMÍLIA E SALVAR VIDAS.

[originalmente publicado por Neil Gaiman em 06/09/2015]

Aqui é muito seguro: estamos em Tennessee, em uma casinha perfeita que pegamos emprestado de uma obstetra que viajou para o casamento do filho. Estamos cozinhando, comendo, recuperando nossas horas de sono. O parto está marcado para semana que vem e os instintos maternos de Amanda parecem estar focados na limpeza da sua caixa de e-mail. Ela também está limpando, lavando e dobrando roupas de bebê e toalhas limpas. Estou escrevendo muito,  aproveitando que o celular está fora de serviço e que não há conexão de internet, escrevendo coisas sem distrações (terminei o primeiro rascunho de um script na quinta-feira, escrevi um prefácio para SANDMAN:OVERTURE na sexta). Nos sentimos como um casal por muito tempo. Agora começamos a nos sentir como uma família.

A segurança parece muito frágil, parece algo que devíamos guardar como um tesouro.

Há uma foto que não vou postar. Você provavelmente já viu: mostra Aylan Kurdi, um refugiado sírio de três anos de idade, morto em uma praia na Turquia depois que sua família tentou chegar à Grécia. Me fez chorar, mas eu sei que no momento estou sensível demais a coisas ruins que acontecem com crianças pequenas. Reagi como se ele fosse da família.

Em maio do ano passado, estive em um campo de refugiados na Jordânia. Conversei com uma mulher de 26 anos que sofreu um aborto quando as bombas começaram a cair na Síria. Ela conseguiu fugir do país, mas seu marido a trocou por uma mulher que, para ele, poderia lhe dar filhos.  Conversamos com mulheres grávidas de oito meses que tinham caminhado pelo deserto por dias, passando por corpos desmembrados de pessoas fugindo da guerra, como elas próprias, traídas por coiotes que prometeram um caminho para a liberdade.

Ganhei uma nova perspectiva da civilização que eu costumo entender como a correta. A ideia de que você pode acordar em um mundo em que ninguém estivesse tentando te machucar ou te matar, no qual houvesse comida para seus filhos e um lugar seguro para seu bebê nascer, se tornou algo inusitado.

Escrevi sobre o tempo que passei nos campos de refugiados sírios no The Guardian (você pode ler aqui http://www.theguardian.com/world/2014/may/21/many-ways-die-syria-neil-gaiman-refugee-camp-syria e deveria, se tiver tempo. Estarei aqui quando terminar. E aqui estão algumas fotos do meu tempo lá: http://www.theguardian.com/world/gallery/2014/may/21/neil-gaiman-syria-refugees-jordan-in-pictures)

Jordânia, Turquia e Líbano tem recebido milhares de refugiados sírios. Pessoas que fugiram, como você ou eu teríamos feito, quando ficar nos lugares que eles amam não era mais possível ou seguro.

O Alto Comissário da ONU para refugiados fez um apelo a Europa que você deveria ler (e insiste que quem for que te represente também leia) em http://www.unhcr.org/55e9459f6.html
Os únicos que se beneficiam da falta de uma resposta única dos europeus são os coiotes e traficantes que estão lucrando com o desespero das pessoas que buscam um lugar seguro. Espera-se mais cooperações internacionais efetivas para deter os coiotes, incluindo dos internos da UE, de forma que permita que as vítimas sejam protegidas. Mas nenhum desses esforços terão efeito se não surgirem mais oportunidades para as pessoas chegarem legalmente e com segurança à Europa. Milhares de pais estão arriscando a vida de seus filhos em botes numa travessia perigosa porque não tem outra opção.
A agência de refugiados da ONU escreveu sobre palavras e como elas são importantes. Nesse caso, as palavras “imigrantes” e “refugiados”: elas não significam a mesma coisa e são muito diferentes em termos de quais são as obrigações do governo com eles. http://www.unhcr.org/55df0e556.html
Um dos princípios mais fundamentais da lei internacional é que refugiados não devem se expulsos ou mandados de volta para situações em que suas vidas e liberdade estejam ameaçadas… A política dá um jeito de intervir em debates como esses. Confundir refugiados e imigrantes pode trazer sérias consequências para as vidas e segurança dos refugiados. Misturar os dois termos tira a atenção da proteção legal específica que os refugiados têm direito. Isso pode acabar com o apoio público e o acolhimento quando eles precisam mais que nunca. Precisamos tratar todas as pessoas com respeito e dignidade. Precisamos garantir que os direitos humanos dos imigrantes sejam respeitados. Ao mesmo tempo, também precisamos fornercer uma resposta oficial adequada para os refugiados, dado seu caso particular.

Vale a pena garantir que as pessoas estejam usando as palavras certas. Muitas vezes elas não percebem que há uma diferença entre as duas coisas, ou que refugiados tem direitos reais – os direitos que você iria querer ter se fosse forçado a deixar sua casa.

Muitas pessoas têm me perguntando sobre maneiras que nós, como indivíduos, podemos usar para melhorar as coisas para os refugiados: tem um artigo excelente na Independent sobre coisas práticas que você pode fazer para ajudar ou fazer a diferença.

http://www.independent.co.uk/news/world/europe/5-practical-ways-you-can-help-refugees-trying-to-find-safety-in-europe-10482902.html

ACNUR, a agência de refugiados da ONU, está alimentando, abrigando e ajudando literalmente milhões de refugiados pelo mundo, sempre com o objetivo eventual de os levar de volta para casa, com segurança, um dia. Seus fundos vêm de governos e civis de todo o mundo. Mas a crise minguou seus recursos. Você pode ajudar.

Doe em http://rfg.ee/RN3uy​ – e por favor, compartilhe o link de doação:
Com seu apoio, a ACNUR fará serviços de assistência como:

  • Fornecer kits de resgate contendo um cobertor térmico, toalha, água, barra de cereal, roupas secas e sapatos para casa sobrevivente;
  • Montar centros de recepção onde refugiados podem se registrar e receber cuidados médicos;
  • Fornecer abrigos de emergência temporários para refugiados especialmente vulneráveis;
  • Ajudar a crianças desacompanhadas com apoio e cuidados de especialista.

Como disse neste blog quando voltei da minha visita aos campos:

Eu volto da Jordânia envergonhado de fazer parte de uma raça que trata tão mal seus membros e ao mesmo tempo orgulhoso de fazer parte da mesma raça humana que dá o seu melhor para ajudar pessoas feridas, que precisam de refúgio, segurança e dignidade. Somos todos parte de uma grande família, a família da humanidade, e cuidamos de nossa família.

[transcrição do vídeo em breve]

(Eu amaria se você pudesse divulgar esse post e os links que estão nele. As pessoas que sabem que estou envolvido em questões sobre refúgio têm me perguntando sobre lugares para onde doar e o que fazer ou ler, portanto estou juntando tudo isso para eles, e agora, para você. http://rfg.ee/RN3uy​ é o link da doação.)

EU REALMENTE FUI COMIDO POR UM URSO?

[originalmente publicado por Neil Gaiman em 31/08/2015]

Amanda está agora com 8 meses e pouquinho e quer ter o bebê longe de tudo e de todos, no meio da mato com ninguém por perto a não ser pelas parteiras, uma doula [profissional que dá apoio à mãe durante o parto] e eu.

O que me pareceu uma ideia estranha da primeira vez que ela mencionou, mas passou a fazer cada vez mais sentido nos últimos meses, principalmente quando eu olhava os meus compromissos na agenda.  Esse ano tem sido louco, mais e mais coisas vão surgindo no meu cronograma: a ideia de ir para uma cabana no mato e escrever, longe de telefones, e-mails ou qualquer distração me pareceu cada vez mais atraente. Acabo ficando com o melhor dos mundos: um tempo sem compromissos com Amanda, um tempo sem compromissos com Amanda e o bebê (quando ele aparecer) e um tempo relativamente sem compromissos para escrever.

Foto por Kyle Cassidy, na última sexta.

É o mês em que o box dos meus livros infantis ilustrados por Chris Riddell vai ser lançado nos EUA, por exemplo.

Exceto que o parto será em setembro. E setembro é o mês quando tudo acontece.

Ainda está ridiculamente barato na Amazon: são três livros em edições que você não tinha como comprar antes nos EUA.

É o mês do lançamento de The Sleeper and the Spindle nos EUA.

O último número de Sandman Overture vai sar em setembro (embora não saia a edição de capa dura com todos os números. Essa vai sair em 10 de novembro – meu aniversário, por coincidência: detalhes em http://bit.ly/OvertureDeluxe )

E, ainda mais importante para mim, é o mês em que acontece o Humble Bundle.

Você sabe o que é o Humble Bundle, não sabe…? É um pacote de coisas virtuais (geralmente jogos, às vezes eBooks e graphic novels) que é oferecido em todo o mundo num esquema de “pague o que quiser”. Às vezes você consegue pagar pouco por coisas que valem centenas de dólares.

Mas acho que é justo dizer que nunca houve antes um Humble Bundle como o próximo. “Por que isso?”, você se pergunta. Ah, terá que ser paciente. Vai ser inesquecível.

Mas…

Vou estar fora. Por isso estou planejando aprender como usar aquela coisa de posts programados no Twitter, no Facebook e aqui no Blog. As pessoas vão achar que voltei do mato, mas não, não voltei. Posts programados mágicos vão aparecer para contar às pessoas o que está acontecendo

(Isso também pode resultar em alguns posts fora de ordem em setembro, já que eu aparentemente falei do Humble Bundle ou Sleeper and the Spindle imediatamente depois que eu chegar à cidade para achar internet e anunciar que o bebê nasceu. Desculpe se eles aparecerem.)

ATRÁS DAS ÁRVORES

[originalmente publicado por Neil Gaiman em 30/07/2015]

Amo tanto a minha esposa. Esta é uma animação feita por Avi Ofer, que usa a gravação de áudio do telefone da Amanda sobre uma conversa que ela teve comigo enquanto eu estava dormindo.

(Me disseram que consigo conversar dormindo)

Ela encontrou o áudio que gravou no telefone, sussurrando no banheiro enquanto eu dormia, depois de um ano e pouco e me mostrou. Eu disse que soava como um filme de animação, ela concordou e usou sua conta no Patreon para fazer o filme acontecer…

Só assista se quiser saber como é, mais ou menos, por dentro da minha cabeça quando estou dormindo.

TRANSCRIÇÃO DO VÍDEO

DEPOIS DA PAUSA

[originalmente publicado por Neil Gaiman em 23/06/2015]

E agora, expirar.

Então, silêncio: apenas a melodia dos pássaros e o farfalhar do vento nas folhas.

Anthony vai para casa com seu querido Piper.
Anthony vai para casa com seu querido Piper.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑